Conheça um pouco sobre o tráfego pago



Tráfego é o sangue nas veias do seu negócio na internet. Sem ele, é certo que o coração do seu negócio para de bater.

Porque sem tráfego, você está invisível na internet.


Sem tráfego, seu público não sabe que você existe. As suas landing pages não recebem acessos. Você não captura novas leads, e não importa se seu produto ou serviço é o melhor do mundo, o que não é visto, não é lembrado.

Você precisa investir em tráfego se quiser que o coração do seu negócio continue a bater por muito tempo.


Você precisa fazer com que seu público chegue até suas landing pages. Seja página de captura, de vendas ou a página institucional da sua empresa, não importa, o que importa é que você precisa ser visto, gerar tráfego é o caminho para ter sucesso na internet.


Se você aplicar as estratégias que eu vou falar a seguir, vai ter todas as ferramentas na mão para aumentar suas taxas de conversão de leads e clientes e se tornar referência no mercado, porque uma landing page com tráfego alto tem mais chances de ter credibilidade no mercado.


O que é Tráfego?

Imagine que você é um grande cientista e acabou de fazer uma descoberta incrível, do tipo que pode melhorar a vida das pessoas como nunca antes.

Você precisa compartilhar sua descoberta com o mundo agora mesmo, mas, quando você sai na rua, não tem ninguém, você caminha sem parar e não vê uma alma por perto.

Você tenta gritar bem alto sua descoberta para ver se alguém escuta, não adianta, ninguém aparece. Sua grande descoberta não vale de nada se não tem ninguém para ouvir.

É mais ou menos a mesma coisa que acontece quando seu site não tem tráfego. Porque tráfego é o público que acessa sua página, é quem tem interesse pelo que você está falando ou oferecendo, seja para consumir um conteúdo, se inscrever em um curso, comprar seu produto ou serviço.

Sem o tráfego, você é invisível na internet, é como se você não existisse. Porque ninguém te vê.

Você pode ser o top de linha daquela área, se não tem ninguém para te ouvir, não adianta de nada.

Se as suas landing pages não têm visitantes, elas não convertem. Aí sua estratégia de marketing digital desce pelo ralo.

E cada um tem um objetivo diferente e te traz resultados diferentes, como eu vou te mostrar agora.


1. Tráfego orgânico

Se você está agora lendo este artigo, isso quer dizer que minha estratégia de tráfego orgânico está funcionando.

Você provavelmente chegou até a gente porque pesquisou sobre tráfego e caiu aqui, tudo de maneira orgânica. Você abriu meu artigo porque quis. Sem que eu tivesse que bater na sua porta e pedir para você ler.

Já deu para sacar que tráfego orgânico é quando o público chega no seu conteúdo sem que você precise subir campanhas ou pagar para isso.

É uma estratégia de inbound marketing, ou seja, quando o público é mais ativo e vem atrás de você.

Na prática, a forma mais comum disso acontecer é pelos mecanismos de busca.

O cara vai lá no Google, digita a dúvida ou o problema que quer resolver e clica nos resultados que achar interessantes.

Quem quer gerar tráfego orgânico precisa se ligar em produzir conteúdos de muita qualidade e com consistência.


E aplicar técnicas de SEO (Search Engine Optimization) nos sites, porque é isso que aumenta as chances de você aparecer na primeira página de buscas do Google.


– Mas por que é importante que meu conteúdo vá para a primeira página do Google?

Simplesmente porque 94% dos usuários não passam da primeira página, é muita coisa. Então estar na primeira página é o que aumenta as chances de seu público chegar até você.

Por isso é tão importante investir em estratégias para chegar lá.

Quando você gera tráfego orgânico para sua página, você atrai um público de alta qualidade, porque é uma galera mais direcionada para o produto ou serviço que você oferece, já que esse público foi atrás do seu conteúdo.


Por isso o tráfego orgânico é tão eficaz em atrair leads no topo do funil de vendas, ou seja, que ainda não conhecem seu produto ou serviço.

Seus conteúdos é que vão ajudar a educar esse público e levá-lo para as próximas etapas do funil.

Além disso, enquanto o seu conteúdo estiver no ar ele vai continuar gerando resultado para sua estratégia de tráfego orgânico.

Seu artigo de 5 anos atrás ainda pode gerar tráfego e trazer novos leads para o seu negócio.

O tráfego orgânico também tem uma parcela maior no tráfego total, já que 93% do tráfego vem dos mecanismos de busca.

Só que tem alguns contras que você precisa saber.

Os resultados surgem a longo prazo.

Demora meses para você saber se sua estratégia de tráfego orgânico está funcionando ou não. Então você precisa planejar tudo muito bem para evitar surpresas no futuro.


Como demora, não deve ser sua única fonte de tráfego. Mas, depois de tudo o que eu falei, está bem claro que você não pode deixar de investir no tráfego orgânico.


2. Tráfego pago

O tráfego orgânico e o tráfego pago funcionam como yin yang, os dois são opostos, mas se complementam.

Enquanto que no orgânico você não paga para que seu público chegue até você e demora meses para ter um retorno sobre seu investimento, no tráfego pago é o contrário.

Você investe grana em campanhas e o retorno sobre seu investimento vem imediatamente. Ou seja, você tem resultados mais rápido.

No tráfego pago, é você quem vai atrás do público, isso faz parte de uma estratégia de outbound marketing, que é quando a empresa dá o primeiro passo para capturar mais leads.

As duas plataformas mais conhecidas para fazer uma estratégia de tráfego pago de sucesso são o Google Ads e o Facebook Ads.

E suas campanhas podem ser:


Com foco em palavras-chave relevantes para seu negócio, em links patrocinados no Google;


Com foco no perfil do público-alvo, em posts patrocinados nas redes sociais como Facebook, Instagram e Youtube;


Em banners em outras páginas.


No tráfego pago você pode escolher a maneira como deseja pagar pelos seus anúncios.

Por exemplo, existe a opção PPC na qual você só paga se alguém clicar no seu anúncio, o que a galera do marketing chama de CPC – Custo Por Clique.

E isso é muito bom para o seu negócio. Porque não é igual a um outdoor ou uma propaganda na televisão que você gasta sem ter certeza que alguém viu.

Aqui você só paga quando alguém vê, se interessa e clica no seu anúncio.

Agora, assim como numa propaganda na televisão, seu anúncio só fica no ar enquanto você estiver pagando.

Quanto você para de investir na campanha, ela deixa de existir e de gerar resultado. Diferente do tráfego orgânico que continua gerando resultado por tempo indeterminado.


Outra coisa que você precisa prestar atenção é no tipo de público que você atrai com campanhas pagas.

A regra número um antes de abrir a carteira é segmentar seu público.

Porque se você não segmentar, sua campanha vai chegar até pessoas que não têm o menor interesse na sua marca, e aí você joga dinheiro no ralo.


Por isso, só invista em anúncios depois de segmentar seu público para atingir quem interessa de verdade.


3. Tráfego de referência

Toda vez que links são colocados nos textos, ao mesmo tempo está se fazendo tráfego de referência para essas páginas.

Porque o tráfego de referência é quando suas landing pages aparecem no conteúdo de outro site.

Você pode fazer parcerias para fortalecer o tráfego de referência do seu negócio e conquistar mais autoridade e visibilidade.

Por exemplo.


Seu negócio é um curso de inglês. Você pode procurar blogs ou canais no Youtube sobre viagens para o exterior para fazer parceria e aumentar o alcance da sua marca.

Aí, esse blog te divulga e em troca você pode divulgá-lo também.

É bem simples entender como o tráfego de referência é poderoso para o seu negócio.

É o gatilho mental da autoridade.

Quando alguém que você confia te indica alguma coisa, funciona, porque essa pessoa tem muita credibilidade para você.

É o que acontece quando alguém indica sua marca.

Outra vantagem do tráfego de referência é que ele dá um empurrãozinho no tráfego orgânico.


Porque se outras páginas estiverem te indicando, falando sobre você, os mecanismos de busca entendem que o seu conteúdo é relevante.

E eles têm interesse que conteúdos relevantes apareçam primeiro.

Aí o que acontece é que seu posicionamento no Google melhora (e você aumenta as chances de aparecer na primeira página).

Você pode fazer esse tipo de tráfego de forma orgânica ou paga.

Pode ser uma parceria gratuita, bem no estilo troca de favores. A outra página te divulga, você retribui o favor.


4. Tráfego direto

Esse é o tipo de tráfego dos sonhos, porque você não precisa impulsionar campanhas como no tráfego pago e nem produzir conteúdo seguindo as regras do SEO como no tráfego orgânico.

Você também não depende de outras páginas divulgando seu negócio.

Tudo acontece de maneira bem orgânica. Porque no tráfego direto, é o público que dá o primeiro passo.


Vou dar um exemplo.

Quando você pesquisa alguma coisa na internet, provavelmente usa o Google.

Cada vez que você abre a página do Google para fazer sua pesquisa, está gerando tráfego direto para ele.

Como assim?

Tráfego direto é quando você digita o endereço daquela página no navegador ou já deixa salvo nos seus favoritos, então você cai direto na página, sem intermediários.

Por isso que, quando vai no Google para pesquisar alguma coisa, está gerando tráfego direto para ele.

Tráfego direto tem a ver com fidelização. Por que você vai no Google e não em qualquer outro mecanismo de busca?

Provavelmente porque você é um cliente fiel.

Você não se tornou fiel do nada. É a mesma coisa com seu público.

A melhor forma de fidelizar o público para que ele chegue nesse nível de ir direto para sua página é investindo pesado no branding da sua empresa.


5. Tráfego social

Vou ser bem direto com você, sua marca precisa estar nas redes sociais se você quer ter um negócio de sucesso.

Porque mais de 3,2 bilhões de pessoas usam as redes sociais no mundo todo.

O Facebook é o número um do site de redes sociais hoje e atualmente possui mais de 2 bilhões de usuários.

Se você quer que seu público chegue até você, não pode ignorar esses números de jeito nenhum.

A melhor forma de usar as redes sociais para dar um empurrãozinho no tráfego da sua página é muito simples: divulgando sua landing page nas redes, seja Facebook, Instagram, Youtube, Pinterest. O lance é divulgar.

Porque não dá para publicar um site com uma oferta ou isca digital e esperar que as pessoas magicamente venham para a página.

A maior vantagem do tráfego social é a chance do seu conteúdo viralizar. Quando isso acontece, você pode ficar surpreso com quanta gente vai acessar suas páginas.

Ou seja, o tráfego social traz visibilidade para a sua landing page.


Outra coisa é a qualidade do público que vem das redes sociais.

Se o cara te acompanha por lá, significa que ele está interessado no que você tem a dizer, esse cara está muito mais aquecido e inclinado a converter em cliente do que quem vem para sua página pelo tráfego orgânico, por exemplo.


Mas nem tudo são flores.

Essa estratégia de tráfego tem duas desvantagens.

Pode trazer um público nada a ver com seu negócio.

A primeira desvantagem acontece porque quando o conteúdo viraliza, ele não aparece só para o público que você segmentou.

Ele aparece para basicamente todo mundo, e tem muita gente ali nada a ver com o seu cliente ideal.

A segunda desvantagem tem a ver com o alcance do seu conteúdo. Se você não quiser impulsionar as campanhas das redes sociais, vai ser mais difícil alcançar muita gente.

Outra coisa: para viralizar, geralmente o conteúdo tem que ser muito chamativo.

E aí muitas empresas escorregam na banana, porque postam mentiras, conteúdo sensacionalista só para atingir um público grande.

Isso só prejudica a credibilidade da marca.


Quando você investir no tráfego social, não pode esquecer de ser sempre muito honesto com os conteúdos que publica.

Assim como em outros tipos de tráfego, você pode fazer de maneira orgânica ou de maneira paga, ou seja, sem impulsionar suas publicações ou impulsionando para atingir mais gente.


Qual é o melhor tipo de tráfego para o meu negócio?

Você provavelmente espera que eu dê uma resposta definitiva.


Mas a verdade é que eu não vou fazer isso.

Porque o fato é que não existe um tipo de tráfego melhor que o outro. Cada um tem suas vantagens e desvantagens.

Como você viu neste artigo, cada um tem um objetivo e atrai um público específico, por isso, não tem como eleger um melhor.


– Mas eu posso escolher só um para usar? O que eu mais gostei, por exemplo?

Eu não vou dizer se você pode ou não, porque essa é uma decisão sua.

O que eu digo com toda certeza é que você não deve usar apenas um tipo de tráfego na sua estratégia de marketing digital, porque é como se você só comesse feijão todos os dias, nada além disso.

Feijão é ótimo e traz muitos benefícios para sua saúde, mas não consegue suprir todas as necessidades de nutrientes que seu corpo tem, se você não variar o cardápio, pode ter problemas por falta de outros nutrientes. É a mesma coisa com seu negócio.

Escolher apenas um tipo de tráfego e investir todas as suas fichas nele vai limitar o crescimento da sua marca.


A estratégia perfeita é usar todos os tipos que eu te falei nesse artigo. Porque cada um tem um objetivo, atrai públicos em diferentes estágios do funil de vendas e traz resultados específicos.

Quanto mais tipos de tráfego você usar, mais rico e saudável será esse sangue, e mais resultados você vai ter.


Posts recentes

Ver tudo